Voltar Home Avançar

1) EXAME OTONEUROLÓGICO

O exame otoneurológico compreende uma avaliação clínica do paciente (anamnese, exame físico e exames clínicos subsidiários) seguida de uma avaliação auditiva  (audiometria, imitanciometria e exames eletrofisiológicos)  e avaliação vestibular (eletronistagmografia).

a) Anamnese

Pesquisar as queixas auditivas (deficiência auditiva, zumbido, etc.)  e a tontura, que é definida como uma alteração perceptiva da relação espacial (sensação de rotação, deslocamento, afundamento, flutuação, etc.) . Lembrar que a lipotímia, escurecimento da visão ou desmaios são outros tipos de queixas. A tontura é quase sempre relacionada a patologias vestibulares enquanto que aquelas outras não o são. As tonturas podem ser rotatórias (mais freqüentes em patologias periféricas) ou não rotatórias. A tontura rotatória também é chamada de vertigem principalmente quando é acompanhada de sintomas neurovegetativos (crise vertiginosa).

b) Exame Físico

Compreende um exame dos pares cranianos, otoscopia, pesquisa do nistagmo, testes de equilíbrio estático e dinâmico e de coordenação (cerebelares)

 b1) Pesquisa do nistagmo: é um dos sinais mais importantes que devem ser observados. É o movimento ocular com uma componente rápida para um lado ( que dá a direção do nistagmo) e uma componente lenta (a componente ativa). Deve-se pesquisar o nistagmo espontâneo que é aquele com o olhar em frente, e o nistagmo semi-espontâneo ou direcional (com o olhar a 30 graus para a direita, esquerda, para cima e para baixo). Geralmente, as síndromes periféricas apresentam um nistagmo horizontal, batendo somente para um lado (nistagmo harmônico) enquanto que as centrais apresentam nistagmos em outros eixos (vertical por ex. – sugestivo de lesão central), ou em eixos  e direções múltiplas (nistagmo desarmônico – patognomônico de lesão central).

b2) Pesquisa do equilíbrio estático - provas de Romberg, Romberg-Barré e dos Braços Estendidos.

b3) Pesquisa do equilíbrio dinâmico - pesquisa da marcha e prova de Untemberger.

b4) Pesquisa da coordenação – provas cerebelares.

            c) Avaliação auditiva

Basicamente é a audiometria mais imitanciometria, complementada, se necessário, por exames eletrofisiológicos (audiometria de tronco cerebral, eletrococleografia, etc.).

            d) Avaliação vestibular

É a pesquisa e registro gráfico dos nistagmos espontâneos, direcionais e provocados por estímulos visuais (rastreio pendular e optocinético) ou vestibulares (provas posturais, rotatórias e calóricas). É chamada de eletronistagmografia (fig. d) - (um canal de registro) ou vectoeletronistagmografia (três canais de registro - possibilita o registro dos nistagmos oblíquos e/ou verticais). O registro dos movimentos oculares é possível porque o globo ocular apresenta uma diferença de potencial entre a córnea e a retina criando um campo elétrico que pode ser detectado através de eletrodos colocados na região peri-orbitária. 

Figura d – Eletronistagmografia 

            A prova calórica consiste em se colocar o paciente em decúbito dorsal com 30 graus de elevação. Nesta posição o canal semicircular horizontal fica na posição vertical com sua ampola para cima. Irriga-se cada meato acústico externo com água ou ar quente e frio. Com isso cria-se uma corrente ampulípeta ou ampulífuga resultando, em pacientes normais, em um nistagmo horizontal para o lado estimulado na prova quente e para o lado contrário na prova fria, com velocidades que podem ser medidas (fig. d2)

Figura d2 – Prova calórica

Voltar Home Avançar